Viva o Menino Jesus

20 dez 2013 19:06Bispo

Como é bom celebrar o natal! Quanta vida, quanta luz, quanta energia positiva circula nesta época. Tudo isso porque o menino Jesus nasceu para nos salvar. Natal é a festa da vida, que se manifesta na fragilidade de uma criança como luz e força de Deus. As antigas promessas se realizaram, o verbo se encarnou; por isso, alegria e gratidão inundam a face da terra. A partir do nascimento do Filho de Deus, consolidou-se a fé, a esperança ganhou vida nova e o amor revestiu o mundo.

Confortados pela proximidade de Deus e amparados pela ação misericordiosa do seu filho Jesus, temos a certeza de que Ele está no meio de nós e nos ajuda a percorrer a itinerância terrena sob sua proteção. Ao doar a vida na cruz para nos salvar, o Senhor e Mestre foi ressuscitado e permanece, em espírito, presente e atuante na igreja e no mundo. Em cada eucaristia celebrada, Jesus nasce outra vez, porque se encarna sobre a mesa do altar como Senhor e Cristo.

Da manjedoura de Belém ao altar da cruz, do sepulcro vazio à glória da ressurreição, louvemos o nosso Deus pelas suas maravilhas! Dele, aprendamos e pratiquemos as lições que humanizam e salvam. No natal, o divino se fez humano para tornar o humano divino. A humanidade do homem se plenifica na humanização do próprio Deus.

Quanto mais parecido com Jesus for o homem, tanto mais divino ele será. Jesus nasceu pobre, viveu na simplicidade, sem luxos, artifícios ou adjetivos; porém, de forma substantiva e radical, assumiu o amor como serviço a Deus e aos irmãos.

O natal é a festa do despojamento de Deus, que ao nascer foi reclinado num cocho sobre palhas. Assim, ele se diferencia daqueles que nascem em berço de ouro e se criam na opulência, sem se importar com a sorte dos Lázaros da história. Jesus dobrou-se diante dos pobres e os serviu com amor: identificou-se com os fracos, humildes e pequenos.

Assim, o Filho entra em sintonia perfeita com o Pai, adequa seus passos com os nossos e nos ajuda a crescer nos valores que norteiam sua vida. Com palavras e gestos, Jesus demonstrou que no amor ao próximo comprova-se o amor a Deus. Na verdade, o amor ao próximo é a exata medida do amor a Deus.

O natal acontece onde existe o amor-doação. Na fragilidade humana reside a graça e a força salvífica de Deus. As pessoas simples não precisam de meios sofisticados para comunicar o amor. Basta amar como Jesus amou! Quem ama, além de cumprir a lei do senhor, torna-se livre para o serviço de Deus e disponível para o próximo. A fé vitoriosa é a “fé vencida”, aquela fé que dá testemunho do amor até a morte e triunfa na cruz.

Quem ama não teme a morte, porque assume as conseqüências do amor e ressuscita para a vida eterna. Se nesse natal conseguirmos ver que a vida é cheia de beleza, que o amor é o mais sublime de todos os gestos, que o perdão nos liberta do ódio e nos compromete com a construção de uma sociedade sem violência, justa e fraterna, então estaremos construindo um mundo muito melhor.

Testemunhemos o amor, não só na ação, mas no ser. O amor tudo transforma! Quem se entrega à vontade de Deus muda radicalmente, converte-se de pecador em santo. Busquemos no advento do menino Jesus a inspiração para seguir o caminho da humildade e do serviço generoso a Deus e aos irmãos.

Caros diocesanos, Feliz Natal e ótimo Ano Novo, repleto das graças de Deus! Minha bênção e afetuosa saudação.



Dom Jorge Alves Bezerra, SSS
Bispo Diocesano
Diocese de Paracatu – MG

© 2011 - Mitra Diocesana de Paracatu. Todos Direitos Reservados.

Desenvolvido por MNDTI


Acessos: 1.495.255