O treinamento pastoral dos seminaristas

24 mar 2015 11:08Seminário São João XXIII

O treinamento pastoral dos seminaristasA Pastoral Paroquial – Lembranças Edificantes

O treinamento pastoral é um dos aspectos para o qual o futuro sacerdote deve voltar-se e dedicar-se com afinco. O seminário propõe a cada um deles uma caminhada global onde a formação completa deve ser contemplada e buscada a cada dia qual alimento diário. Contudo cada seminarista reage de uma forma diferente aos ensinamentos propostos no seminário. É portanto importante que existam momentos nos quais eles experimentem na prática o que farão no futuro, já como ministros ordenados.

Assim com a semana santa se aproxima, cada seminarista fará sua experiência em comunidades paroquiais, quer auxiliando os padres nas sedes paroquiais, quer trabalhando sozinhos em comunidades específicas indicadas especialmente para eles. Ali eles serão inseridos no mistério de Cristo – neste caso através do trabalho pastoral – e poderão vivenciar o sagrado tríduo pascal. Todos os padres passaram por essa importante etapa de formação e tiveram a oportunidade de trabalhar em diversas comunidades paroquiais de nossa diocese. Assim como nossa Igreja particular é grande territorialmente, existem muitas vilas e vilarejos onde a presença de padres em datas chaves da fé, tais como páscoa e natal, é bastante difícil, então os seminaristas “treinam” nelas e promovem o crescimento da fé e da devoção por onde passam. A comunidade que acolhe tem, além disso, a oportunidade de conhecer os jovens que serão pastores no futuro, quiçá deles mesmos e os seminaristas conhecem então a realidade pastoral para onde deverão, mais tarde, dedicar suas vidas como ministros do altar.

Deve-se dizer, portanto, que a vida pastoral é uma verdadeira escola de fé, escola de vida, de conhecimento do povo, de suas realidades e suas lutas, seus desejos e anseios. Os seminaristas são para eles sinais de esperança, de fé, de fortaleza e as experiências feitas são mutuamente gratificantes. Ao final, eles devem escrever um relatório de suas experiências pastorais e entrega-las ao Reitor do seminário. É quase unânime a afirmação de que tudo ocorreu de acordo com as expectativas, ou melhor, elas excederam o que se esperava. Novas amizades são feitas, novas relações humano-afetivas são geradas ou incrementadas, novas experiências são criadas. Assim o futuro sacerdote, quando terminar o período formativo, já tem condições de guiar o povo, entender suas lutas, animar os que estão desanimados e alimentar a fé de todos os que lhe são confiados. Uma relação bonita se cria quando um seminarista vai trabalhar nas paróquias. Se você perguntar a alguns sacerdotes sobre suas experiências pastorais, eles lhe falarão das muitas lembranças boas que vêm à mente quando o assunto é pastoral de férias e de semana santa. São “muitas emoções” e as experiências ali feitas ficarão para sempre.

Rogamos a Deus que conceda aos nossos seminaristas não apenas perseverança, mas ardorosos corações, capazes de perseguir insistentemente a santidade, a caridade e a fé.


Colaboração: Pe. Wellington José Santana - Reitor

Propaganda vocacional2.jpg

© 2011 - Mitra Diocesana de Paracatu. Todos Direitos Reservados.

Desenvolvido por MNDTI


Acessos: 1.525.959