EVANGELIZAR NÃO É UMA ATIVIDADE QUALQUER

14 set 2015 21:39Palavra do Pastor

A Igreja existe para evangelizar. Mas evangelizar não é uma atividade qualquer, que se faz com palavras e gestos improvisados, à revelia da oração e sem compromisso com a Igreja. A verdadeira evangelização nasce da comunhão com Deus e se manifesta como serviço aos irmãos. Os operários da evangelização são todos os batizados que se comprometem efetivamente com a construção do Reino de Deus. Dentre os trabalhadores da vinha do Senhor, por um lado existem pessoas qualificadas, como os membros do clero, religiosos e agentes de pastoral; por outro, há cristãos muito simples que nos evangelizam com o seu modo de ser e de agir. Graças a Deus! O que se espera dos evangelizadores? Que sejam preparados humana e espiritualmente, que sejam relevantes em suas áreas de atuação, que na medida do possível utilizem os novos meios de comunicação para anunciar a boa nova. Vivemos em um mundo conectado, saturado de mensagens invasivas que atingem as pessoas. É preciso tirar proveito da conectividade social e semear a Boa Nova de Jesus Cristo nos corações. Convém que o evangelizador aprenda a lidar com as novas tecnologias da informação para transmitir o evangelho a toda criatura. O bom evangelizador é aquele cujo impacto do seu testemunho de fé é sentido pela Igreja séculos depois. O poder da vida evangélica, isto é, de quem vive segundo o espírito, não é limitado pela morte, porque quem ama não morre, continua a agir ontem, hoje e sempre. Para nós, Igreja viva de Cristo, o que importa é anunciar o evangelho, seja como for. Um bom testemunho evangeliza mais do que muitas pregações. Em nosso mundo, onde reina o capitalismo, as pessoas que por razões evangélicas são absolutamente gratuitas, fazem a diferença. Enquanto operários do Reino, somos chamados a evangelizar, se necessário com palavras. Se falarmos, que o nosso discurso seja breve, motivador e acessível às pessoas humildes. Os fiéis são tocados pelas palavras quando combinamos o conhecimento das coisas de Deus com a habilidade de compartilhá-lo de maneira convicta e simples. A pregação, sob a ação do Espírito Santo, revela humildade, profundidade e unção espiritual, de modo que o pensamento do pregador reverbere na assembleia. Por um lado, a partilha da Palavra deve ser feita com inteligência e sabedoria; por outro, a recepção da mensagem será acolhida pelo sentimento e pela compreensão racional dos ouvintes. Não há fórmula pronta! A contrapartida do pregador consiste na preparação do teor a ser comunicado, na vida de oração e na comunhão com Deus, para que reine em si os mesmos sentimentos de Cristo. O evangelizador trabalha com o fermento do evangelho, cujo potencial transformador gera a eficácia da conversão; importa não temer os inimigos da missão. Estes, são como cães que ladram à beira da estrada, mas a romaria da evangelização segue em frente. O bom evangelizador é um provocador de reações, que desafia o poder do pecado e propõe a necessária mudança de atitude ao pecador. Num mundo cheio de atrações, mergulhado no mar das inutilidades, repleto de distrações e encerrado no túmulo da subjetividade, é preciso despertar vocações centradas em Jesus Cristo, no seu evangelho e nos sacramentos da Igreja. A sociedade carece de homens e mulheres santas, capazes de comunicar o Evangelho em todas as circunstâncias. Que o testemunho de fé dos nossos evangelizadores seja um exemplo digno de ser seguido pelos jovens, cujos corações devem ser conquistados para cristo através do amor. O evangelho não é um conteúdo pronto, mas uma pedagogia aberta, libertadora e orientada à formação integral do homem. A raiz do Evangelho está no coração do bom evangelizador. O evangelho é a base do homem novo, o fundamento do reino de Deus. As ações e as formas de vida daqueles que são essencialmente renovados pelo Espírito se determinam a partir da adesão ao Evangelho, cujos princípios são indispensáveis para o bom relacionamento com Deus e o próximo. O Evangelho forma os santos, a moralidade, a capacidade de juízo, dá o sentido da vida e consolida a fraternidade humana. Que a Palavra de Jesus nos estimule na pastoral vocacional e nos ajude a descobrir vocações capazes de dar a vida pelos irmãos no serviço da evangelização. Mãe de Deus, medianeira de todas as graças, socorre a nossa diocese com a sua poderosa intercessão junto do seu filho Jesus, o Bom Pastor do rebanho, para que encontremos gente disponível, focada em Deus e disposta a colaborar com a obra do Reino.

Dom Jorge Alves Bezerra, SSS
Bispo Diocesano de Paracatu - MG

© 2011 - Mitra Diocesana de Paracatu. Todos Direitos Reservados.

Desenvolvido por MNDTI


Acessos: 1.462.496