“DEO GRATIAS!”

2 jan 2016 16:13A Voz do Pastor

Demos graças ao Senhor por mais um ano de trabalhos pastorais realizados no campo de missão da nossa diocese. Ao longo de 2015, bispos, sacerdotes, diáconos permanentes, religiosos e agentes de pastoral deram o melhor de si para a edificação do Reino de Deus. A nossa gratidão se estende aos funcionários da Mitra Diocesana, do Seminário João XXIII, da Rádio Juriti, às secretárias paroquiais, cozinheiras, sacristãos, zeladoras dos nossos templos e ao pessoal dos serviços gerais. Foi ótimo contar ainda com a colaboração dos voluntários (as), que tanto nos ajudaram com seus preciosos apoios em diversas áreas e circunstâncias do nosso ministério. A todos os que se empenharam conosco na faina diária do reino, nossa sincera gratidão e bênção apostólica. Aproveito a oportunidade para convidá-los a permanecer na mais absoluta fidelidade a Jesus Cristo, à Igreja e aos irmãos. Juntos, construiremos um mundo melhor, baseado na justiça e no amor. Ao oferecermos nossos préstimos à obra do Reino temos a certeza de que contamos com as bênçãos do bom Deus. No transcurso de 2016, queremos ser abençoados, isto é, agraciados com a presença e a atuação de Deus em nossas vidas. A bênção de Deus opera sempre o bem. Todos querem seus benefícios, porque ser abençoado significa ser assistido, cuidado, protegido... Consideremos a bênção como manifestação do poder de Deus a serviço das pessoas. Somos abençoados para sermos uma bênção para outros. Assim como Deus tem compaixão de nós e nos socorre em todas as necessidades, da mesma forma sejamos compadecidos, próximos e servidores uns dos outros. Estamos vivendo o Ano Santo da Misericórdia, exatamente para lembrarmos que o nosso Deus é misericordioso e deseja que sejamos misericordiosos. Que gestos de misericórdia devemos praticar para obedecer a Deus e ficarmos parecido com Ele? A conduta misericordiosa é feita de gestos muito simples que nutrem a vida fraterna na família, na comunidade, nos ambientes que frequentamos. As atitudes misericordiosas pressupõem prestar atenção nas pessoas, ser atento às suas necessidades e servi-las. O amor misericordioso é um débito permanente que temos uns para com os outros. No dia a dia, como saldar essa dívida? A teoria do amor torna-se consistente quando se transforma em ações misericordiosas. Hoje, mais do que nunca, urge dar tempo para o outro: escutar, conversar, ajudar, cuidar... Esses pequenos gestos fazem a diferença: humanizam a vida, recuperam a autoestima, restauram a esperança, melhoram a convivência. Deus é aquele que provê misericórdia, amor, salvação. Ele quer que sejamos continuadores do seu modo de ser e agir. A religião não deve servir de pretexto para o ódio, para os extremismos violentos. A religião é elo de união com Deus e os irmãos. Ser religioso é ser capaz de conviver respeitosamente com as diferenças religiosas, sociais, culturais que caracterizam a humanidade. A lei do perdão é para todos. Perdoar faz bem à saúde, restaura a convivência, constrói a paz, gera felicidade. O diálogo e a paciência, a humildade e a gratidão são atitudes de refinada civilidade, mas também gestos concretos de amor misericordioso. Nessa ação de graças do novo ano peçamos o perdão de Deus, se por acaso falhamos no testemunho da fé, na vivência da esperança e na operosidade do amor. Façamos o firme propósito de sermos fiéis e obedientes ao Pai-Deus, cuja vontade a fazer-nos santos como ele é santo. Desejo a todos os leitores do “informativo Diocesano” um Santo Natal e um Abençoado Ano Novo. Em 2016, continuemos a celebrar, viver e revelar as riquezas da Palavra e da Eucaristia. Esses alimentos espirituais formam o homem novo, atento às alegrias e esperanças, às angústias e sofrimentos do povo de Deus. Imitemos os sentimentos e as ações de Jesus Cristo, que revelou a misericórdia do Pai em plenitude, sobretudo no serviço aos pobres e pecadores.

Dom Jorge Alves Bezerra, SSS
Bispo Diocesano de Paracatu - MG

© 2011 - Mitra Diocesana de Paracatu. Todos Direitos Reservados.

Desenvolvido por MNDTI


Acessos: 1.525.207