O Pai procura quem o adore em espírito e verdade

25 jul 13:16PALAVRA DO BISPO

1. Desde o Antigo testamento Deus é adorado pelo seu povo. O ato de adorar é seguido do gesto de curvar-se, inclina-se profundamente diante de Javé. De igual modo, os adoradores do Novo Testamento prostram-se até o chão diante do santíssimo sacramento da eucaristia e rendem graças a deus pelos inúmeros benefícios recebidos. Conscientes das maravilhas realizadas em suas vidas, os fiéis louvam o Senhor e suplicam o perdão dos pecados. Diante de Deus, o homem se prostra: faz-se pequeno, submete-se, adora-o. Adorar é arder de fervor, é ter vida eucarística, rica de amor e de verdadeira devoção ao Corpo glorioso do Senhor. Os adoradores procurados pelo Pai são os operários da oração e os servos da caridade. Destacam-se no zelo pela liturgia, na assistência aos necessitados, na solicitude pelos enfermos e anciãos, por aqueles que sofrem nos cárceres... Da eucaristia emana um amor kenótico e servidor, até o fim. A paixão de amor pela eucaristia fixa os adoradores por horas seguidas aos pés do tabernáculo. São como árvores plantadas à beira do riacho, que há seu tempo produzem bons frutos. Os que se unem ao Senhor pela adoração aprendem a pensar, falar e agir como Cristo. A espiritualidade eucarística vai além do culto de adoração, exige compromisso com a missão do amor supremo de Jesus, que se fez pão. Com verdadeira humildade o Senhor se oculta na pequena hóstia de trigo e se humilha por nossa salvação. A adoração eucarística não é simples devoção, é um estilo de vida evangélica e caminho seguro de perfeição. Adorar o Senhor é sumamente necessário para que os joelhos diante dos ídolos, mas somente diante do único Deus verdadeiro. Queremos adorar e fazer adorar, como ensinou São Pedro Julião Eymard, o Apóstolo da Eucaristia. De acordo com Santo Eymard, fazer adorar é uma missão confiada aos adoradores que se encontram com Deus e sentem a necessidade de comunicá-lo aos irmãos. Viver o evangelho da eucaristia é dar prioridade a Deus, à comunhão fraterna e ao dom de si. As diaconias eucarísticas são diferentes e expressam as riquezas do amor de Deus, segundo a vocação de cada um. O dom de si e a missão indicam que a eucaristia é uma imolação de amor que não admite o predomínio do egoísmo sobre o bem comum. Os adoradores que o Pai procura avançam para as águas mais profundas e fazem da eucaristia o seu único centro de vida. Na adoração acontecem experiências espirituais edificantes: encontro com Deus, diálogo, revelação e conhecimento de Jesus Cristo, anúncio da boa nova, conversão, motivação para o testemunho e compromisso com a missão. A transformação operada pelo encontro com o Senhor gera um estilo de vida evangélica comprometida o Reino de Deus. A adoração é um kairós instituído por Deus para formar o homem interior e prepará-lo para toda boa obra. Diante de Cristo eucarístico os fiéis aprendem a amar a Deus de todo o coração, com toda a mente, com todas as forças e ao próximo como a si mesmo (cf. Mc 12, 30-31; Dt 6, 4-5). Enfim, na adoração a Palavra de Deus é lida e meditada para transformar-se em oração e norte a vida.
2. É com o fito de proporcionar aos fiéis momentos de adoração e experiências espirituais gratificantes que a Diocese de Paracatu oferece aos cristãos adoradores 12 horas de adoração por dia, de 2ª a 6ª feira. Cada jornada começa com a celebração da Santa Missa, às 06h30min, e se conclui com a bênção do Santíssimo Sacramento, às 18h00. Esta bênção é dada pelos diáconos permanentes e se destina aos adoradores, à cidade de Paracatu e à nossa diocese. O local da celebração, da adoração e da bênção é a Capela São Pedro Julião Eymard, ao lado da rádio Juriti. Venham, celebrem conosco, adorem o Senhor e recebam inúmeros benefícios espirituais! Quem adora Cristo presente eucaristia fica parecido com Deus.


Paracatu – MG, 06 de julho de 2017
Memória de Santa Maria Goretti VgMt
Dom Jorge Alves Bezerra, SSS
Bispo de Paracatu – MG

© 2011 - Mitra Diocesana de Paracatu. Todos Direitos Reservados.

Desenvolvido por MNDTI


Acessos: 1.624.788