Objetivos da Formação

No Diretório de Pastoral nº. 253 temos: “o objetivo imediato do Seminário é a preparação dos vocacionados para o ministério Ordenado, mediante um processo de discernimento com base nas cinco dimensões da formação: Humano-afetiva, Comunitária, Espiritual, Pastoral-missionária e Intelectual. Trata-se de um processo global e participativo que conta necessariamente com o envolvimento de formadores, diretores espirituais e assessores como psicólogos e psicopedagogos, famílias, comunidades e paróquias”.

O objetivo geral: “levar os candidatos a vida sacerdotal e os presbíteros a serem santos, discípulos missionários, como “verdadeiros pastores do Povo de Deus, a exemplo de Jesus Cristo, Mestre, Sacerdote e Pastor” (Lv 19, 1; Ef 1, 4; OT 4)” (Diretrizes para a Formação n. 84).

Os objetivos específicos (Diretrizes para a Formação n. 85):

- Formar personalidades humanas, cristãs e presbiterais marcantes como testemunhas autênticas de Jesus Cristo;

- Formar sacerdotes, mediante a formação espiritual, humano-afetiva e comunitária;

- Formar sábios pela sabedoria humano-divina, profetas de Jesus Cristo;

- Formar mestres mediante a formação intelectual;

- Formar servidores e pastores autênticos de Cristo Pastor, mediante a pastoral-missionária nas comunidades, associações, movimentos;

- Formar pessoas de comunhão e de diálogo, a exemplo das pessoas da Santíssima Trindade.

O Candidato precisa prestar atenção aos “cinco aspectos fundamentais que devem aparecer de maneira diversa em cada etapa do caminho, mas que se complementam intimamente e se alimentam entre si (DAp 278)” (Diretrizes para a Formação nº. 92 a 97):

- O Encontro com Jesus Cristo é o início do processo formativo. Como discípulo missionário ouve o chamado: “Segue-me” (Mc 1, 14; Mt 9, 9). O encontro é a possibilidade da formação como um processo renovador e de amadurecimento.

- A Conversão é a dinâmica formativa de quem escutou o Senhor com admiração e gratidão, crê nele pela ação do Espírito e se coloca no seu seguimento. A formação busca mudar o modo de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida.

- O Discipulado possibilita o crescimento constante no conhecimento de Jesus Cristo, de sua pessoa, de seu exemplo e de sua doutrina. Ser discípulo é “seguir o caminho, é entrar no Caminho, é entrar em Cristo e Cristo em nós, numa profunda ‘interioridade mútua’, formando uma como ‘única personalidade mística’” (EJ 53). “É fundamental que durante os anos de formação os seminaristas sejam autênticos discípulos” (DAp 319).

- A Comunhão: não pode existir vida cristã fora da comunidade. Como os primeiros cristãos, que se reuniam em comunidade, o presbítero e o seminarista participam na vida da Igreja e no encontro com os irmãos e irmãs, vivendo o amor de Cristo na vida fraterna solidária. Ele cresce em comunhão nas famílias, nas paróquias, nas comunidades de base, em outras pequenas comunidades e movimentos. “A Igreja necessita de sacerdotes e consagrados que nunca percam a consciência de serem discípulos em comunhão” (DAp 324). A comunhão no processo formativo é expressão da comunhão dos santos, do Reino definitivo.

- A Missão: à medida que o processo formativo conduzir ao seguimento de Jesus Cristo despertará a necessidade de compartilhar com outros a alegria de ser enviado, de ir ao mundo para anunciar Jesus Cristo, morto e ressuscitado, de realizar o amor e o serviço aos mais necessitados, de construir o Reino de Deus.

© 2011 - Mitra Diocesana de Paracatu. Todos Direitos Reservados.

Desenvolvido por MNDTI


Acessos: 1.604.989